A ansiedade pelo nascimento do bebê é grande em quase todas as famílias, mas mesmo assim sempre se espera que nasça após a 38ª semana de gestação, justamente quando a criança já está mais pronta para as descobertas do mundo novo.

Mas isso nem sempre é possível e diversos fatores provocam um parto prematuro, muito mais comum do que se imagina. No Brasil nascem cerca de 40 crianças prematuras a cada hora, segundo uma pesquisa feita pela Universidade Estadual de Campinas. Isto representa aproximadamente 12% dos nascimentos no país.

Não há motivos para pânico, mas existem muitos cuidados específicos que devem ser respeitados. E, claro, tudo depende da semana gestacional em que o bebê nasce – convenhamos que existe uma enorme diferença entre uma criança prematura que nasce na 37ª semana e outra que nasce na 29ª semana, por exemplo. Em quaisquer dúvidas, recomenda-se sempre a consulta com um médico especialista, porém algumas delas nós antecipamos aqui:

 

1) Todo prematuro deve passar pela UTI neonatal?

O pediatra é quem verifica esta necessidade, todavia, geralmente os bebês com peso inferior a dois quilos ou com menos de 30 semanas são internados para terminarem seu desenvolvimento e ganhar peso.

2) Enquanto internado, ele pode receber visitas?

Pode sim, desde que não haja orientação médica contrária. Porém é importante frisar que o bebê prematuro tem menos anticorpos logo os cuidados de higienização devem ser rígidos.

3) Quais cuidados devo ter em casa após a alta?

Cada caso é único e certamente os médicos indicarão os cuidados necessários, mas é bom lembrar que o bebê ficou em um ambiente com barulho, ruídos e iluminação constante. Propiciar um espaço aconchegante onde o bebê tenha silêncio, por exemplo, é legal. Os demais cuidados geralmente são semelhantes a uma criança que nasceu no tempo normal.

4) Com quanto tempo meu filho pode fazer passeios fora de casa?

Normalmente a criança pode passear ao ar livre quando estiver acima dos 2,5 quilos e, claro, com um clima favorável. Evite sempre que possível sair com um recém nascido (mesmo não prematuro) com muita chuva ou frio, por exemplo.

5) O calendário de vacinação é o mesmo?

Não. Existe um calendário adaptado aos bebês que nascem prematuramente, pois têm uma menor imunidade e por isso mais riscos de infecções. Este calendário é orientado pela Sociedade Brasileira de Imunizações junto com a Sociedade Brasileira de Pediatria. Suas adaptações dependem do peso da criança e do seu tempo gestacional.

6) Como fica a amamentação?

O bebê prematuro pode demorar para aprender a sugar, ainda mais quando nascem com menos de 34 semanas. Na UTI, a alimentação é através de sonda pela boca ou nariz, mas desde o parto a mãe já deve tirar o leite do peito para alimentar a criança. Aos poucos o bebê aprende a sugar, mas não se preocupe caso isso demore um pouco para acontecer.

7) Por que há tanta preocupação com peso?

Ele é um indicador de que a alimentação está adequada e o crescimento permanece dentro do esperado. Para quem nasceu antes da hora, engordar pode ser desafiador. Além de o sistema gastrointestinal ter menor capacidade de absorção e ser mais vulnerável à ação de agentes infecciosos, alguns prematuros não conseguem sugar. Isso atrapalha o aleitamento e, consequentemente, o ganho de peso. Mas outros fatores também podem ser avaliados, como estatura, qualidade do sono e desenvolvimento motor.

8) Como se calcula a idade de um prematuro?

Existem duas contagens de idade. A idade corrigida é calculada descontando a quantidade de semanas que faltavam para completar 40 semanas de gestação, sendo usada para avaliação de peso e desenvolvimento neurológico e psicomotor. Essa contagem é feita até por volta do segundo ano de vida da criança. Sua idade real e cronológica, no entanto, conta a partir de seu nascimento.

9) Se o bebê prematuro adoecer a preocupação tem de ser maior?

Deve requerer maior atenção se adoecer nos primeiros meses – com gripes e resfriados, por exemplo – depois o bebê se recupera nutricionalmente e se deve ter os cuidados comuns a qualquer criança. Obviamente existem casos específicos e isso também depende das condições de nascimento.

10) Os bebês prematuros se assustam com mais facilidade?

É natural que isso ocorra. Não pelo bebê ter nascido prematuro, mas pelo tempo de internação mesmo. O ambiente hospitalar é hostil à criança e muito estressante por conta da luz e barulho constantes. A criança quando for para casa pode demorar um pouco para diferenciar dia e noite, além de se assustar com maior facilidade sim. Mas aos poucos isso melhora e logo o bebê já adota um comportamento e rotina igual às demais crianças.