ICTERÍCIA EM RECÉM NASCIDOS 

A icterícia neonatal é um problema comum, quando diagnosticada e tratada a tempo, pode ser totalmente controlada. Ela pode ser classificada em vários níveis, desde moderada a acentuada.

Mais de 50 por cento dos bebês saudáveis e absolutamente normais ficam com a pele amarelada nos primeiros dias depois de nascer. Se isso acontecer com seu bebê, não é preciso se apavorar, mas é preciso falar com o pediatra.

Como o pico da icterícia costuma acontecer entre o segundo e o terceiro
dia de vida, a condição normalmente é diagnosticada e tratada na própria maternidade. Em prematuros, o pico pode ocorrer entre o quinto e o sétimo dia após o parto. Mas, se o bebê já estiver em casa, telefone para o médico ou leve-o de volta ao hospital para um exame.

CAUSA

A icterícia aparece no bebê saudável quando o sangue fica com excesso de uma substância chamada bilirrubina, que é produzida durante o processamento pelo organismo dos glóbulos vermelhos de que ele não vai precisar mais.

Os recém-nascidos tendem a ter níveis de bilirrubina mais elevados porque possuem hemácias (glóbulos vermelhos) extras no corpo, e seu fígado ainda não consegue metabolizar o excesso de bilirrubina. Como as funções hepáticas da criança ainda não estão maduras, pode haver uma deficiência nesse mecanismo – a bilirrubina fica, então, concentrada na corrente sanguínea e o tom amarelo toma conta da pele, bem como das conjuntivas (parte branca dos olhos).

TRATAMENTO

Se seu bebê estiver com a pele amarelada, o pediatra fará um exame de sangue para medir a concentração de bilirrubina e definir se o tratamento é necessário. A determinação do tratamento dependerá do dia em que a bilirrubina foi medida, do peso com que o bebê nasceu e do nível detectado.

O tratamento geralmente é feito com fototerapia – o bebê é colocado sob luzes fluorescentes que ajudam a metabolizar a bilirrubina, para que ela seja excretada pelo fígado. A criança é colocada numa espécie de bercinho de luz, sem roupa, com os olhos cobertos por uma máscara protetora.

Quando a icterícia é leve, o médico pode indicar apenas um banho de sol de cerca de 15 minutos de manhã e à tarde, antes das 10h e depois das 16h.

Geralmente, o procedimento é realizado durante um ou dois dias, mas a frequência e a intensidade devem ser avaliadas caso a caso. Passado o momento mais crítico, os banhos de sol podem atuar como coadjuvantes. A rotina de amamentação e de demais cuidados segue a mesma, com exceção do fato de que a mãe pode receber alta antes do bebê (Por isso, não se desespere! É comum a mãe ganhar alta antes do bebê).

ALTA

A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda a permanência no hospital por um período de 48 a 72 horas para os bebês saudáveis. As razões são diversas. Uma delas se refere ao fato de que, se o bebê for liberado antes da hora, a icterícia pode passar despercebida, uma vez que a manifestação geralmente acontece a partir do terceiro dia de vida. Nessa situação, se não houver acompanhamento, existe o perigo de a criança ter complicações.