Assunto delicado e por vezes sem uma resposta muito clara, o jeito que se deve falar com os bebês divide opiniões até mesmo de especialistas, imaginem de mães e pais. A verdade é que não existe uma única regra definida e que necessariamente precise ser seguida, mas algumas coisas são importantes de saber.

As crianças aprendem a falar por repetição, ouvindo e imitando o adulto. E nesse processo de aprendizagem é natural que as primeiras palavras ditas sejam as mais fáceis de memorizar e pronunciar, além de claro serem ditas frequentemente erradas. Mas na prática esse jeitinho errado de pronunciar algumas palavras é muito fofo e grande parte dos pais passam a imitar seus filhos. Isso é muito comum em toda a família, na verdade, afinal quantas não são as pessoas que chamam o irmão maior do jeito que o caçula o chama?

Além de ser bonitinha, essa imitação pode até fortalecer os laços afetivos das crianças com seus pais, porém é preciso tomar cuidado. Essa função é da criança, é através do imitar que ela aprende sua linguagem e falar do jeitinho que o bebê fala com muita frequência pode confundi-lo e retardar seu aprendizado. Vale salientar que todas as línguas do mundo utilizam algum jeito diferente para falar com os bebês, uma linguagem mais infantil mesmo. E não há problema nisso. O segredo é evitar os extremos e fazer tudo com moderação.

Algumas outras coisas também precisam ser pensadas, como a medida certa para usar os diminutivos, abreviações e associações, além da época certa para ensinar palavras mais difíceis, verbos e etc. O ideal é, de novo, saber dosar e equilibrar essas expressões. Não tem problema nenhum em chamar o machucado de “dodói”, mas evite criar frases inteiras com esse tipo de linguagem. A maior dificuldade no aprendizado do bebê geralmente é com a pronúncia dos verbos, pois ao contrário dos substantivos não podem ser vistos ou tocados. A indicação é de que se comece ensinando os verbos de ação, de acordo com o que o bebê está fazendo naquele instante, facilitando seu entendimento.

Experimente situações do cotidiano para ensinar a criança, como na hora das refeições e no banho. São ótimas oportunidades para o bebê aprender a pronunciar as comidas e as partes do próprio corpo. Aproveite também os passeios para apontar os objetos e ensinar novas palavras.  Aguçar a curiosidade do bebê e deixa-lo confortável é fundamental. Cantar musiquinhas junto com os pequenos é sempre uma forma divertida e carinhosa para a criança aprender a falar. Ler livros infantis, sendo bem expressivo na narração para despertar a atenção, fazendo os pequenos mergulharem na história também são excelentes e não tem criança que não goste.