Estimular a criatividade garante um futuro independente aos pequenos

2 anos da Baby’s MegaStore
28 de julho de 2017
musica na gestação
Músicas para escutar antes e depois da gestação
28 de julho de 2017
estimular bebês (1)

Educar uma criança é um processo desafiador e cheio de encantamento. É muito mais do que proporcionar afeto e carinho. A partir dessa premissa muitas dúvidas surgem. Um psicopedagogo e informações adequadas podem ser aliados dos pais nesta caminhada educacional. Os bebês crescem e evoluem através dos seus modelos (pais, cuidadores, avós, tios, entre outros). Quando o assunto é desenvolvimento humano temos diversos aspectos para considerar, ainda mais quando se fala em bebê.
Segundo a Psicopedagoga especialista em transtorno do desenvolvimento da infância e adolescência, Dra. Viviane Cristina Souza, partimos do olhar na gestação, desde os cuidados físicos (pré-natal), como também emocionais e espirituais (equilíbrio). É neste período de formação que o bebê também compreende o mundo através das sensações maternas.
“É importante ter atenção no desenvolvimento gestacional, pois os cuidados com o novo ser começam nesta fase”, alerta a especialista. Ela acrescenta que o estímulo vem desde cedo, como, por exemplo, fazer com que o bebê se esforce, pegando as coisas e se superando. Isso ajuda a estimular a inteligência.
Viviane destaca que quando o bebê nasce certamente os cuidados físicos são prioridade, ou seja, alimentação, sono, higiene, exames, vacinas. Porém, a forma como tudo é realizado faz a diferença. O bebê, bem como a criança e o adolescente necessitam de uma rotina bem estruturada. O modo de executar cada uma das ações, dando significado é uma forma de estimular. Um exemplo é quando a mãe troca seu filho e conversa sobre o que está fazendo, onde está a perninha, o pezinho… há um pequenino ser ali que se identifica com a voz da mãe (chamada de mamanhês).
O estímulo é essencial para o desenvolvimento. Quando a criança recebe o comando adequado, o cérebro consegue desenvolver ao máximo as suas potencialidades e formam–se novas conexões cerebrais. Isso permanece durante toda a infância e a adolescência, ou seja, o estímulo é importante em todas as fases. As crianças já nascem com uma tendência natural à criatividade, e só têm a ganhar, em curto, médio e longo prazo, quando os adultos estimulam essa capacidade inventiva em casa ou durante os passeios.
O desenvolvimento do ser humano está vinculado à maturação cerebral, que se inicia dentro do ventre materno e vai até a fase adulta. A neurociência ainda não tem definida uma idade cronológica em que a estrutura e função do cérebro estão completamente amadurecidas, mas a estimativa é para além dos 30 anos, contudo esta maturação está relacionada com aprendizagens. Toda a base está alicerçada nos primeiros anos de vida e são essenciais para o desenvolvimento humano apresentando períodos sensíveis, portanto, momentos em que a aprendizagem de habilidades ou desenvolvimento de aptidões e competências se faz de modo mais facilitado, são as famosas janelas de oportunidades. Quando expostos a determinados estímulos é muito mais fácil desenvolvê-los na sua totalidade.

 

estimular bebês (2)

Algumas atitudes simples para estimular o bebê

  • Dialogar sempre com o bebê;
  • Cantar;
  • Estimular o ato de explorar diferentes texturas e sons (madeira, espuma, metal, borracha etc…);
  • Contar histórias;
  • Movimentar objetos;
  • Pendurar no berço objetos coloridos que façam barulho, em várias alturas e posições para que o bebê tenha interesse em alcançá-los;
  • Movimentar o bebê para frente e para trás, com delicadeza, enquanto ele estiver sentado. Isso ajuda a treinar a sustentação do tronco;
  • Dar livrinhos de tecido para o bebê manusear. Eles adoram;
  • Brincar de esconder o rosto com uma fralda ou esconder o brinquedo para observar se ele procura;
  • Fazer brincadeiras, diga: “Vou te pegar” e finja que vai morder as mãozinhas, pezinhos, coxinhas do bebê. Eles adoram! Gargalham!
  • Deixe uma caixa de brinquedos bem grande e cheia para que ele escolha o que quiser;
  • Aulas de natação ou ginástica corporal.
  • O mais importante é estar presente. O convívio é um dos maiores vínculos na relação, entretanto, acompanhar e estar consciente nas relações com o bebê só fortalece a relação de amor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *