Dicas para produção de papinhas

peso_gestacao_unanapilates.com.br
Como manter o equilíbrio do peso na gravidez
24 de maio de 2016
vacina de gripe 1
Vacinação contra a gripe: saiba mais
24 de maio de 2016
papinhas

Se o seu bebê está se aproximando dos seis meses você já deve estar pensando na produção das papinhas. A grande vantagem de ir para a cozinha é controlar mais rigorosamente a alimentação e oferecer hábitos saudáveis. Na hora do preparo é importante ter legumes, frutas e verduras bem fresquinhos. Se tiver como optar prefira sempre os alimentos orgânicos. Siga algumas dicas e divirta-se no preparo variando em cores e sabores.

– Ofereça a comida morna, mais ou menos na temperatura do corpo. Se você a colocar sobre o dorso da mão, o certo é não senti-la pelando.

– Cuidado quando esquentar a comida no microondas, porque uma parte fica morna e outra fica quentíssima, e você pode não perceber. Se for sopa, misture bem depois de esquentar, e aí teste a temperatura. Alimentos como a batata “seguram” mais o calor e podem ficar quentes por dentro sem que você perceba.

– Jogue fora tudo o que sobrar no prato. A regra é simples: se você colocou uma colher que foi para a boca de alguém na comida, essa comida não pode ser guardada. As bactérias presentes na saliva, mesmo em pequena quantidade, podem se proliferar no alimento, até dentro da geladeira. Bebês têm o sistema digestivo mais sensível, portanto todo cuidado é pouco.

– Coloque pouca comida no pratinho. Primeiro para evitar o desperdício: tudo o que sobrar terá que ser jogado no lixo. Segundo para evitar a frustração: se seu filho comer 10 colheres, pode ser que esteja ótimo para ele, mas você vai ficar achando que ele não comeu nada porque o prato ainda está cheio. Uma boa medida para começar é mais ou menos a quantidade de alimento que cabe em uma xícara (a criança pode pedir mais ou ficar satisfeita com cerca de 200 ml de papa).

– Não ponha açúcar na comida do bebê. O açúcar das frutas já é suficiente (prefira as mais maduras, que são mais docinhas). E lembre-se de que não pode dar mel a crianças de menos de 1 ano.

– Vá com calma nos temperos. Coloque pouco ou nenhum sal e vá usando cebola e alho bem aos poucos, para o bebê ir se acostumando. Por outro lado, também não vale dar uma comida insossa demais para o bebê – seu objetivo é que ele aprenda a comer as mesmas coisas que o resto da família, no futuro, e que tenha hábitos alimentares saudáveis.

– Preste atenção em possíveis alergias alimentares. Dê um ingrediente novo por dia, não cinco de uma vez, senão você não vai ter como saber qual foi que fez mal, em caso de reação.

– Reaproveite as sobras (desde que não as do prato do bebê). Na geladeira, elas podem ser dadas à criança até o dia seguinte. Você também pode congelar a comida – de preferência em porções individuais. Escalde o recipiente antes, para garantir. Num freezer que seja só freezer (não junto com a geladeira), os alimentos assim podem durar mais de 3 meses, mas o melhor é ir usando logo. Cole etiquetas com a data para ir aproveitando o que está no freezer há mais tempo.

No congelador da geladeira, principalmente se não houver porta separada, a durabilidade é menor. É melhor usar o alimento em no máximo um mês. (Fonte: Baby Center)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *