Cuidados importantes para o bebê aproveitar o melhor da estação

Brasil tem novo calendário de vacinação
10 de maio de 2016
heimlich1
O que fazer quando o bebê se engasgar?
10 de maio de 2016
bebe 1a

Por Rita Trindade

Termômetros em alta combinam com praia, piscina e lazer. As férias escolares e o verão estão chegando e pedem passeios para a criançada aproveitar. Brincar na areia, entrar no mar e pular na piscina é uma rotina divertida para os pequenos. Mas alguns cuidados devem ser priorizados quando os pais resolvem viajar no verão, principalmente com os bebês menores de 1 ano. Veja as precauções que garantem a saúde e a segurança dos pequenos.

Especialistas dizem que é muito importante que os bebês tenham contato com o sol no verão, por cerca de 10 ou 15 minutos diários. O sol contribui para o desenvolvimento e crescimento da criança, auxiliando na liberação de vitamina D. Isso pode ser feito durante um passeio pela praia, antes das 10h ou depois das 16h (ou antes das 11 e depois das 17 horas nos estados que adotam o horário de verão). A recomendação vale também para os dias nublados, pois parte dos raios ultravioletas, nocivos para a pele e mais intensos nesse intervalo, atravessa as nuvens.

Aplique o protetor solar em todo o corpo e rosto de seu filho. Escolha um protetor com FPS (Fator de Proteção Solar) igual ou superior a 30 e reaplique-o com frequência: mesmo que o rótulo diga o contrário, o suor e a água removem parte do produto. Mesmo com todos os cuidados dos pais, é importante saber que bebês menores de 6 meses de idade não devem ir à praia. Além do sistema imunológico ainda não estar preparado, a amamentação na praia não é adequada.

A areia concentra diversas bactérias, mas fica difícil impedir os pequenos de brincarem no chão da praia. Então, passe livre! Crianças maiores de um ano podem e devem brincar na areia. Os papais só precisam ficar de olho para evitar que eles levem as mãos à boca. Outro fator importante é a hidratação, as crianças pequenas brincam e suam muito na praia, por isso precisam se hidratar a todo o momento. Os líquidos devem ser consumidos a cada 30 minutos, evitando dar refrigerantes e picolés em excesso. Se a opção for água, as mães precisam ficar atentas à procedência.
Saiba como proteger o bebê do sol e do calor, com algumas dicas abaixo:

Vista o bebê com tecidos leves e fibras naturais, de preferência algodão

Tecidos fresquinhos são além de tudo confortáveis. Evite roupas feitas de fibras sintéticas, porque elas retêm o calor e incomodam o bebê. Podem causar até brotoejas e assaduras. Não deixe o sol bater direto na pele delicada da criança por longos períodos, especialmente se ela ainda for muito novinha. Os pediatras costumam recomendar o uso de filtros solares a partir dos seis meses. Use o tipo recomendado pelo médico, pois há grandes variações na composição química desses produtos. Chapéus não podem ser apertados, e precisam ter as abas largas. Chapéus ou bonés com elástico podem atrapalhar a circulação do sangue.

Deixe a criança algum tempo sem fralda

Se estiver muito quente, deixe o bebê pelado. Pode ser na hora de uma soneca da tarde, por exemplo, num lugar de fácil lavagem para o caso de ele fazer xixi ou cocô. O suor se acumula nas áreas plásticas da fralda descartável e causa irritações como a brotoeja e a assadura. Você pode até tentar usar fraldas de pano, se a pele do seu filho estiver irritada demais.

Reduza o uso de óleos ou cremes no bebê

Se estiver muito quente, óleos infantis usados para massagem podem colaborar para o surgimento de dermatite ou brotoejas se não forem bem retirados no banho. Não use cremes hidratantes em excesso e, se o bebê for sair no sol, evite cremes antiassaduras dentro da fralda, para permitir que a pele respire melhor.

Evite o talco

Muitas mães passam bastante talco nos bebês depois do banho para mantê-los frescos. Na verdade, o contato do talco na pele molhada pode causar irritação e desconforto. Além disso, as partículas do pó do talco são tão finas que podem entrar nas vias respiratórias e pulmão da criança, causando problemas graves. Se mesmo assim você quiser passar talco, use pequenas quantidades, sem provocar “fumaça”, e mantenha o recipiente sempre longe das mãozinhas do bebê. Uma alternativa mais segura é a maisena, que tem partículas maiores, não tão prejudiciais. A tradição de colocar maisena na água do banho também é uma boa opção.

Como evitar doenças de pele?

Para impedir a proliferação de fungos causadores de micose e de bactérias que provocam doenças de pele, é importante que os pais fiquem atentos à umidade dos maiôs e sungas da garotada. O indicado é trocar as peças de banho por roupas secas assim que a brincadeira na água acabar. Usar chinelos em áreas úmidas e de água parada, como chuveiros coletivos e decks de piscinas, também é um cuidado que minimiza esse risco. Deve-se enxugar bem entre os dedos dos pés e a virilha após o banho.

bebe 3a

1 Comentário

  1. Julio Prestes disse:

    Excelente artigo, curti mesmo.
    Posso usar como referência para um vídeo que estou gravando para a faculdade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *