bebe-crise-faire-15499

Ao longo de seu desenvolvimento, os bebês passam por uma serie de transformações que podem afetar o seu humor. Essas mudanças podem ser consideradas crises e cada fase possui a sua. As características mais aparentes e também mais presentes nessas crises de crescimento do bebê são efetivamente a perda do apetite normal e noites de sono bem mais conflituosas da criança. O bebê pode simplesmente deixar de dormir a noite e choramingar muito.

6 semanas a 2 meses

As primeiras alterações ocorrem entre a sexta semana de vida e os dois meses de idade, onde bebês têm muitas cólicas e essa dorzinha tende a deixar os bebês mais irritados.

3 meses aos 4 meses

Após essa fase, os 3 meses de idade é período onde o crescimento do bebê é evidente na parte motora e também emocional. A fase de mudança inicial aos 3, 4 meses pode ser bem complicada já que alguns bebês podem rejeitar o seio ou mesmo não querer se alimentar, dormir ou ficar em qualquer posição que seja. É literalmente uma fase onde a  criança tem dificuldades de adaptação, tende a ficar agitada e não conseguir alimentar-se e dormir direito.

6 meses ao 7 meses

Nessa fase o bebê cresce mais e consegue enxergar o mundo através dos seus olhos.  Vamos dizer que aos 6 meses ele percebe que pode se locomover, fazer parte do ambiente e também podem ter esse pico de crescimento do bebê. Nessa fase o bebê pode estranhar as pessoas que o cercam e ter crises de choro. Também em torno do 6º mês que outra mudança grande acontece: o nascimento da dentição. E esse é um

8 meses

Lá pelos 8 meses, a crise também passa a ser mais psicológica e afetar o sono.  Porque nessa fase, os bebês já estão dormindo no seu próprio berço e muitas vezem quando acordam durante à noite choram porque se sentem sozinhos no quarto..

Aproximadamente 1 ano:

Quando o primeiro ano do bebê está prestes a se completar e ele já consegue andar, alcançar e pegar objetos, por exemplo, a chama a crise da independência entra em cena. Ele já se sente independente para descobrir o mundo sem o auxilio da mãe.

Os pais devem ficar atentos à saúde do bebê, mas no caso das crises, paciência é a receita principal! Se houver algo de anormal no crescimento do bebê ou se a crise se prolongar será necessário investigar se há algo errado com o bebê. Crises de crescimento devem ser relatadas ao pediatra, se necessário, fará exames para  conferir a saúde.